Juntos, presidenciáveis devem gastar 45% do declarado por Dilma em 2014

Principais presidenciáveis estimam R$ 200 milhões, sem doação empresarial; PT gastou R$ 438 milhões em 2014
25/07/2018 07:06 Política
© Reuters
© Reuters

Os candidatos à Presidência da República estão estimando despesas menores nas eleições deste ano, sendo que a previsão inicial das 8 principais campanhas é de gastarem, juntas, cerca de R$ 200 milhões, sem doações de empresas, que foram proibidas.

Segundo reportagem da "Folha de S. Paulo", esse valor, que costuma ser ajustado ao longo do processo eleitoral, é 45% do que foi desembolsado somente na campanha de reeleição de Dilma Rousseff em 2014, em valores atualizados pela inflação.

Dilma declarou ter gasto R$ 351 milhões há quatro anos (R$ 438 milhões em valores atuais). Na eleição passada, Dilma, Aécio Neves e Marina Silva gastaram juntos em torno de R$ 800 milhões, em valores corrigidos pela inflação do período, segundo dados informados pelas candidaturas à Justiça Eleitoral.

O Congresso determinou um valor máximo de R$ 70 milhões para gastos por candidatura no primeiro turno. Segundo o jornal, estas são as previsões dos partidos:

PT - R$ 50 milhões

PSDB - R$ 43 milhões

MDB - R$ 35 milhões do próprio bolso de Henrique Meirelles

PDT - R$ 40 milhões

Rede Sustentabilidade - R$ 15 milhões

Partido Novo - R$ 8 milhões

PSOL - R$ 6,2 milhões

PSL - não há estimativa

PC do B - não há estimativa

Fonte: Notícias ao Minuto

COMENTÁRIOS

Usando sua conta do Facebook para comentar, você estará sujeito aos termos de uso e politicas de privacidade do Facebook. Seu nome no Facebook, Foto e outras informações pessoais que você deixou como públicas, irão aparecer no seu comentário e poderão ser usadas nas plataformas do Tribuna de imprensa.