Carlito do Gás volta a cobrar da CCR MSVia segurança na travessia de BR

06/06/2018 10:16 Política
Medidas propostas por Carlito do Gás podem trazer mais segurança em travessia de BR - Crédito: Divulgação
Medidas propostas por Carlito do Gás podem trazer mais segurança em travessia de BR - Crédito: Divulgação

O vereador Carlito do Gás (PEN) voltou a cobrar da CCR MSVia medidas que garantam a segurança dos usuários da BR-163, assumida pela empresa através de concessão do Governo Federal. Em documento enviado ao diretor-presidente da empresa, Roberto Calixto solicitou a realização de estudos  para viabilizar a implantação de redutores de velocidade no formato 'quebra-molas' na 163, nos trechos que antecedem o Trevo da Bandeira e o trevo que separa a referida rodovia da Rua Gelci Teixeira Marcondes.

“O surgimento de novos bairros e de empreendimentos à margem da BR 163 e o consequente aumento do tráfego de pedestres, ciclistas, motociclistas e condutores  em geral, que precisam fazer diariamente a travessia da rodovia, demanda a adoção de instrumentos que induzam à redução de velocidade”, assinalou Carlito, lembrando que resolução do Conselho Nacional de Trânsito (Contran) publicada no dia 27 de maio de 2016 estabelece os critérios para instalações das ondulações transversais, popularmente conhecidos como “quebra-molas”, sendo o principal deles “o índice significativo ou risco potencial de acidentes no local da instalação”, o que segundo ele é o caso desses dois trechos da BR.

“Citamos esses dois locais e essa medida pontual, que é a instalação dos “quebra-molas”, mas o fato é que em toda a extensão dos trechos da rodovia que cruzam o perímetro urbano é necessário que a empresa cumpra os compromissos assumidos quando obteve a concessão”, pontuou Carlito, referindo-se a estruturas que que constam no projeto inicial apresentado pela CCR, como ciclovias, passarelas e viadutos, como parte de ações sociais voltadas aos moradores dos trechos urbanos que seriam  duplicados e que garantiriam a segurança dos pedestres, ciclistas e demais usuários da Rodovia.

“Esses investimentos sociais não se concretizaram e mesmo com a falta de investimentos na duplicação da BR-163 em Mato Grosso do Sul em 2017, a empresa aumentou em 11,4% sua receita com pedágio, se comparados os primeiros três meses dos anos de 2017 e 2018. No ano passado, a arrecadação foi de R$ 64,4 milhões. Neste ano, subiu para R$ 71,7 milhões. A conclusão a que se chega é que os 845,4 quilômetros da BR-163 que cruzam nosso estado tornaram-se uma “mina de ouro” para a empresa.Esse quadro precisa mudar”, reforçou Carlito.

“A implantação de mecanismos que garantam a segurança dos usuários é uma determinação do Contran e precisa ser observada pela empresa. Se não implantou as ciclovias e passarelas, que pelo menos implante os quebra molas, garantindo a segurança dos moradores dos bairros que ladeiam a rodovia”, finalizou o vereador.

Fonte: Da redação / Dourados News

COMENTÁRIOS

Usando sua conta do Facebook para comentar, você estará sujeito aos termos de uso e politicas de privacidade do Facebook. Seu nome no Facebook, Foto e outras informações pessoais que você deixou como públicas, irão aparecer no seu comentário e poderão ser usadas nas plataformas do Tribuna de imprensa.